#45 - Enter Team Rocket!





No último capítulo os nossos heróis conheceram a professora Ivy, a mestra da guilda Butterfree Nest, após aprender mais um pouco sobre a lenda das aves miragem, a guilda é atacada pela Orange Crew, afirmando serem a única guilda oficial do arquipélago laranja e exigindo a saída imediata dos actuais moradores daquela casa, discordando com eles, Ash enfrentou Rudy, descobrindo da pior maneira os poderes diferentes utilizados pelos guerreiros das ilhas, no entanto, a chegada de Drake, o líder da Orange Crew, poderia mudar o rumo dos acontecimentos, tudo isso com uma proposta que deixou todos perplexos.

— Não me olhem com essa cara, estou falando a sério, vocês podem ficar com a vossa guilda caso nos derrotem em outra competiçãozinha, mas caso percam, não só a vossa guilda desaparece, como os membros da Squirtle Shell se mudam para a Orange Crew — Drake falava com um tom bem relaxado, com seus braços cruzados e ar de quem não dá a mínima.

— Mas Drake, eles são do continente, os antigos nunca aceitariam continentais na nossa guilda — reclamou Cissy com seu ar bitchy.

— Pena que os antigos não estejam cá para se manifestar, besides, eu senti o poder espiritual desse rapaz do chapéu vermelho, seria um membro viável para não nos tornarmos na guilda numero um das ilhas, como também poderíamos destronar a Sacred Arcanine e nos tornarmos na numero um do mundo.

— Protesto, eu descendo directamente dos antigos mestres, me recuso a fazer parte da mesma guilda que continentais — voltou a reclamar Cissy.

— Tanto se me dá, eu quero é ir para casa, isto me aborrece — comentou Luana jogando tetris num console portátil.

— E nós, não temos nada a dizer? — Interrompeu Gary — a minha guilda está aqui em uma missão, não temos qualquer interesse em nos juntarmos a vocês.

— Tudo bem, é a vossa escolha, mas a guilda dos vossos amigos depende de vós — disse Drake com um grande sorriso no rosto.

— Não é da nossa conta — Gary estava irredutível na sua pose.

— Gary, eles são nossos amigos e nos ajudaram a chegar até aqui, não lhes podemos virar as costas — reclamou Ash.

— Sim, eles nos ajudaram e eu sou grato por isso, mas eles competiram com a Orange Crew e perderam, então não é mais da nossa conta.

— Bom, eu vos darei uns dias para pensar, quando tiverem a resposta apareçam em Pumelo Island, lá vos esperaremos. Até serei mais gentil, terminem a vossa missão, seja o que quer que vieram fazer, depois decidam, se aparecerem em Pumelo, é porque aceitaram o meu desafio, se não aparecerem, então nós iremos desmantelar de vez esta guilda — Drake vira as costas enquanto os seus companheiros se interrogam frustrados por não poderem já tomar a guilda.

A Orange Crew decide seguir o seu líder, embora a frustração seja visível no rosto de Cissy, ela cede ás ordens de Drake e regressa com eles.

— Agradeço a vossa ajuda aqui, se não fossem vocês ficaríamos sem lugar para viver — disse a professora Ivy.

— Não fique tão aliviada, nós não aceitamos nada ainda — comentou Gary com rudeza.

— Gary, por que está falando assim? — Perguntou Ash desapontado com a atitude do companheiro.

— Seja qual for a vossa decisão, nós respeitaremos — informou Ivy.

— Professora, qual é o problema deles com continentais? — Perguntou Katie.

— Como vos expliquei, os mestres das ilhas arranjaram alternativas á falta de habilidade para domar elementos, começaram a criar objectos mágicos e com eles combatem, mas nos continentes não aceitam este tipo de habilidade "impuro" por isso os antigos mestres começaram a desprezar os continentais. Até há bem pouco tempo nem guildas eram permitidas pois eram algo continental, mas o Drake foi contra todas as ordens e conseguiu legalizar a Orange Crew — explicou Ivy.

— Eles falam mal dos continentais, mas se comportam pior, ao não aceitar ninguém, sem ser escolhido por eles na sua guilda, foi por essa razão que a Butterfree Nest foi criada — comentou Tracey.

— Butterfree é um belo animal que cuida as suas crias Caterpie, as mantendo no seu ninho, até que elas virem lindas Butterfree e cruzem os céus para ver o mundo, este sempre foi o meu sonho, apoiar e ajudar estes jovens e os treinar até que eles possam percorrer o mundo, mas a Orange Crew não gostou da ideia de outra guilda por aqui — disse Ivy olhando o céu onde várias Butterfree esvoaçavam com suas asas brilhantes ao sol.

— Eu não percebo qual é o problema deles, em Kanto existem várias guildas, claro que há rivalidades entre algumas, mas não se querem acabar umas com as outras — disse Katie se agachando no chão e fazendo festas em uma pequena Caterpie que rastejava pela grama.

— O problema é que nós cobramos bem menos pelos serviços, o que faz com que as pessoas nos prefiram a nós, eles cobram bem mais e por isso passaram para segundo plano e nunca aceitaram isso — reclamou Tracey.

— Mas bem, chega com os nossos problemas, vocês têm uma missão a cumprir, não é verdade?

— Mas professora Ivy e o que eles disseram? — Perguntou Ash.

— Não se preocupe com isso agora, o mais importante neste momento é a vossa missão — disse Ivy com Gary concordando — Amanhã de manhã chega aqui um luxuoso cruzeiro, vocês podem usá-lo para chegar a Shamouti Island, lá existe um templo dedicado ás lendárias aves miragem, pode ser que encontrem algo importante.

E assim os nossos heróis decidiram passar o resto do dia em Valencia Island, brincando com os animais, quando a noite chegou, todos se deitaram nos quartos e dormiram até de manhã, se vestiram e se prepararam para partir, despedindo-se de Tracey, Ivy e das tripletes, os nossos heróis saíram para o porto da ilha, onde a embarcação os esperava, era um grande navio preto e branco, com quatro longas chaminés laranja, Katie parou um pouco desconfortável ao olhar para o navio.

— Pi? Passa-se alguma coisa? — Perguntou Yellow vendo a companheira parar e olhar para o navio com cara de caso.

— Olhem o nome desse navio... — disse Katie apontando para as letras na proa.

— SS Titania? Qual o problema? — Perguntou Ash.

— Um pouco desconfortável não acham? — Sugeriu Katie.

— Relaxe, este navio é um novo modelo inafundável, esta é sua viagem inaugural — comentou Gary continuando a andar.

— Er... isso é suposto me deixar descansada?

— A pi não percebe nada... — Yellow apenas piscava os olhos.

Os quatro amigos entraram no navio e ficam maravilhados com o luxo nas cabines, parecia um hotel flutuante, após mostrarem que estavam em uma missão a mando do senhor Giovanni, os organizadores da viagem indicaram onde seriam os quartos, e os nossos heróis caminham pelos corredores, quando uma mulher de cabelos vermelhos e um longo vestido vermelho com folhos pretos choca contra Ash.

— Mil perdões meu jovem, mas eu estava procurando uma pessoa — disse a mulher muito atrapalhada — por favor, se virem um homem de cabelos louros e uma boina preta chamado Jackson, digam que a Rosaline anda tentando o encontrar.

— Say what? — Katie ficava ainda mais nervosa por alguma razão que deixava os amigos confusos.

— Pode deixar, que se o virmos diremos — disse Ash com um ar amigável.

Os nossos heróis se instalaram em seus quartos e logo saíram para continuar a visitar o navio, Katie não escondia o desconforto por estar a bordo daquela embarcação e vai até á proa, olhar o mar, um rapaz um pouco mais velho chega-se ao pé dela.

— O que faz aqui uma menina sozinha? — Perguntou o rapaz com uma voz amigável.

— Huh? Nada, apenas pensando... erm... — ao olhar para o rapaz, ela vê os seus cabelos loiros e a boina preta, ele trazia umas calças de fazenda presas com suspensórios sobre a sua camisa de botões branca.

— Eu também gosto de pensar olhando o mar, saiba que consegui esta viajem á última hora ganhando uma aposta — o rapaz começa a subir as grades — agora subindo aqui me sinto o rei do mundo — gritou com os braços abertos com o seu cabelo voando para trás com o vento.

— Eek.... — Katie corre para o convés.

— Terei dito algo errado? — Questionou-se o rapaz vendo a garota fugindo.

Katie corre pelos corredores e esbarra com Gary.

— Qual é a pressa? — Perguntou o garoto.

— Este navio é esquisito demais...

— Acha? Eu estou adorando a viagem, por que não tenta relaxar?

— Sim, acho que tenho pensado demais...

— Vá, venha comigo — Gary estende a mão e Katie aceita, o garoto a leva de volta até á proa — olhe esse mar calmo, hoje está um dia perfeito para navegar, não há nada de errado que possa acontecer.

— É, eu tenho pensado demais em algo, deve ser apenas fantasia da minha cabeça — disse a garota se debruçando sobre a grade.

— Feche os olhos e relaxe, aproveite a viajem — aconselhou Gary e a garota decidiu seguir o conselho, simplesmente fechando os olhos, é nessa altura que Gary pelas costas de Katie, agarra em suas mãos e a faz subir a grade, dois lances — agora abra os olhos — Katie abre seus grandes olhos azuis e olha para o horizonte ficando com a sensação que está voando.

— Oh f*ck! — A garota empurra Gary para trás e volta a correr para o convés, deixando Gary confuso.

Entretanto, bem no fundo do navio, na casa das máquinas, os trabalhadores recebiam ao mesmo tempo uma chamada para os seus pagers, e um sorriso invade o rosto de cada um, despindo as fardas de trabalhador e revelando os uniformes negros com um grande R estampado.

Outros trabalhadores, desta vez os da cozinha, recebem a mesma mensagem despem suas fardas, revelando o mesmo símbolo. Lembram-se de Jessie, James e Percy, da primeira missão da Yellow? Pois bem, eles também estavam neste navio, disfarçados de empregados de limpeza, a mensagem que se lia nos pagers era "Iniciar Missão" logo os Rockets se revelavam perante os passageiros, semeando o pânico.

Ainda na proa, Gary ouve os gritos que vêm do salão de baile e corre apressadamente, assim como Katie, Ash e Yellow que estavam nos respectivos quartos. Logo eles se deparam com a Team Rocket fazendo reféns.

— Team Rocket? — Katie reconheceu aqueles uniformes, informando aos seus amigos quem eram, logo eles se prepararam para batalhar.

Ash, Gary e Katie avançam contra as dezenas de membros da organização criminosa, usando seus poderes para os irem derrotando, já Yellow, tentava desamarrar os reféns, antes de ser atacada por Percy e suas garras.

— Nyarr, voltamos a nos encontrar — disse o místico da Team Rocket com as mãos para cima e as garras expostas.

— Você de novo? A pi já o venceu uma vez.

— Nyarr, mas este será o segundo round e eu irei vencer... Fury Swipes! — Percy salta sobre Yellow que se desvia das garras e tenta usar um golpe elétrico, mas logo é agarrada por Jessie que usa os seus cabelos para apertar a garota.

— Hahahaha, dessa vez não há nenhuma você do futuro para a salvar.

— Powder Snow! — Katie sopra um ventinho gelado que congela os cabelos da Rocket, os quebrando e assim soltando Yellow.

— Como se atreveu a destruir meu cabelo? Sua vadia.

— Pin Missíl — centenas de espinhos saiam dos cabelos de James contra Katie, mas logo eles são destruídos pelas brasas lançadas por Gary.

Jackson e Rosaline chegam naquele momento e em conjunto com os outros reféns, atacam a Team Rocket, mesmo sem poderes, usando cadeiras e todas as armas que conseguiam encontrar.

O confronto começava a danificar o navio, com todos os golpes do arsenal dos nossos heróis sendo usado, é neste momento que o navio começa a quebrar, deixando as pessoas em pânico, a água invade os compartimentos, fazendo com que os oficiais, evacuem o navio nos botes salva-vidas, deixando para trás os nossos heróis que tinham de parar a Team Rocket.

O SS Titania começava a afundar, já com todos os passageiros em segurança, porque isto é uma história PG. Menos os nossos heróis que ainda combatiam a organização criminosa, não os deixando chegar até aos passageiros, o navio se parte em dois e os nossos heróis são obrigados a abandonar a embarcação, as fortes correntes marítimas os arrastam para longe uns dos outros, qual será agora o seu destino? Não percam o próximo capítulo.


1 comments :

Write comments
Boo
AUTHOR
5 March 2015 at 14:52 delete

Capítulo bem divertido, teve muitas piadas e referências, é interessante notar esta diferente na historia, o arco anterior com uma historia mais sombria e pesada, neste já um clima bem mais alegre, em ambos os casos a historia se mantém sempre em um bom nível.
No fim ainda tivemos ação com o ataque da Team Rocket ao navio, mas minha parte preferida da historia foi o conflito com a Orange Crew, a disputa entre Ash e Gary esta a render bons momentos. Agora além das aves existe um outro objetivo a cumprir no continente. A historia continua excelente, grande capítulo.

Reply
avatar