#43 - To Valencia Island!





Uma bela manhã chega á ilha de Cinnabar, as aves cantam alegremente pela extensa floresta de palmeiras, recheadas de criaturas únicas, as praias e avenidas começam a se encher de turistas gozando suas férias e o nosso herói despertava para mais um dia, hoje eles partem para o arquipélago Orange, onde tentarão encontrar as lendárias aves miragem. Ash partilhava o quarto de hotel com Gary, mas o seu companheiro não estava presente, sua cama estava feita e suas bagagens haviam sumido. Em cima de sua capa estava uma nota, Ash pegou no pequeno pedaço de papel e o desdobrou.

"Como você não acordava, fomos andando para as ilhas, até um dia"

Ash fica assustado, teriam seus companheiros partido sem ele, o rapaz salta a cama de Gary para chegar á janela com vista para o porto, onde um grande navio estava partindo rumo ao arquipélago. Rapidamente ele se veste e arruma sua roupa á pressa na mala, deixando pedaços de roupa visíveis, em seguida corre para o elevador, mas este demora uma eternidade para subir e então ele decide ir pelas escadas, com os atacadores dos tenis desapertados, o nosso herói tropeça e desce pelas escadas aos trambolhões, com a sua mala se abrindo e sua bagagem caindo toda sobre ele. Mas enfim, conseguiu chegar no primeiro piso, meio desengonçado, ele se prepara para sair do hotel, mas...

— Ash, estamos aqui — uma voz famíliar chama pelo nosso herói, era Yellow que juntamente com Gary e Katie estavam tomando o café da manhã, sentados com toda a calma do mundo.

— Você parece com pressa Ash, Blaine disse que ainda tínhamos umas duas horas antes do nosso navio — informou Katie.

— Que falhado, nem sequer tomou um banho, ou se arrumou direito — zombou Gary.

— Gary, você me deixou uma nota dizendo que tinham ido sem mim — Ash estava nervoso com a atitude do companheiro que havia o enganado, soltando um berro irritado, que desperta a curiosidade dos outros hospedes.

— Não faça um escândalo Ash, você não está em casa... gezz, não o posso trazer a nenhum lado — Gary continuava a trollagem ao nosso herói desengonçado, que se irritava ainda mais.

— Vamos aproveitar este manjar em paz, sim meninos? — Katie bebia o seu café e falava de forma calma e serena. Em seguida a garota agarra no frasco de ketchup em cima da mesa e deita por cima dos seus ovos.

— Pi? — Yellow fica intrigada com aquele liquido vermelho saindo do frasco de Katie e assim que ela termina de cobrir os ovos, Yellow pega no frasco e o cheira, friccionando um pouco, aquele liquido vermelho vem á superfície e a garotinha toca com a língua, seus olhos começam a brilhar, como se ela tivesse descoberto o melhor sabor do mundo. Enquanto isso, Ash continuava a berrar com Gary.


— Você não pode me assustar desse jeito, você me enganou, é um cretino, um idiota.

— Relaxe, foi apenas uma piada — dizia Gary, calmamente, com a colher do sorvete na boca.

— Você irá pagar por isso, o desafio para um combate, aqui e agora — Ash começa a exercer pressão, os hospedes sentem a energia libertada pelo garoto e ficam curiosos para ver no que vai dar.

— Você quer mesmo lutar? — Gary esboça um sorriso de confiança e se levanta, concentrando sua energia espiritual.

— Oh please... — Katie arranca o frasco de ketchup das mãos de Yellow e o atira á cabeça dos rapazes.

— Hey porque fez isso? — Perguntaram os dois furiosos, enquanto Yellow se lançava para o chão, tentando apanhar o frasco.

— Vocês precisam se controlar, não vêem que estamos num lugar de luxo, com pessoas de nível? Que criancinhas... — Katie continuava na sua calma habitual e se preparava para comer um pedaço de bolo quando...

— Você tem a mesma idade que nós, então também é uma criancinha — reclamou Ash.

— Nahã, eu sou mulher e as mulheres amadurecem mais cedo que os homens, é um facto comprovado — Katie continuava desmoralizando os dois rapazes, que se irritavam com a presunção da garota que continuava comendo sua fatia de bolo com o garfo. Entretanto Yellow encontrava a garrafa de ketchup no chão e seus olhos voltaram a brilhar.

— Com amadurecer, você quer dizer ficar mais gorda? Porque é o que vai acontecer se continuar devorando esse bolo — zombou Gary com apoio de Ash.

— Que disse? — Os olhos de Katie se tornaram diabólicos e a garota começa exercendo pressão com sua energia espiritual, os outros dois a encaram e a acompanham na energia, sem reparar que Yellow estava mesmo por baixo deles, provocam uma explosão com suas energias e a garotinha é atingida, ficando com a roupa chamuscada, os cabelos em pé e o rosto um pouco sujo, mas o seu frasco ainda estava na mão... ou parte dele, pois a explosão o rachou ao meio e o ketchup caiu todo no chão, fazendo a pequena Yellow chorar rios de lágrimas.

Pouco tempo depois, Blaine entra no hotel e vê os três se preparando para lutar.

— Hmm crianças...? — Chamou Blaine confuso com o que se estava passando.

— Que foi? — Responderam os três em coro com seus olhares ameaçadores, intimidando o cientista.

— Huh? Senhor Blaine... — Katie voltou ao normal assim que viu com que falava — desculpe os meus amigos, acordaram com os pés fora da cama hehe.

— Aham... anyway, o vosso navio ainda deve demorar um pouco, mas eu arranjei uma solução — um rapaz de cabelos escuros surge por trás de Blaine, ele usava uma t-shirt verde e calções vermelhos pelo joelho — este é Tracey, faz parte de uma guilda do arquipélago laranja, chamada Butterfree Nest.

— Eu vim pegar uns documentos com o senhor Blaine para a mestra da minha guilda, a professora Ivy, estou voltando agora para Valencia Island, se quiserem posso vos levar comigo — Tracey era extremamente simpático, se ofereceu logo para ajudar os nossos heróis a ir para o arquipélago Orange.

Os nossos heróis aceitaram prontamente e logo acompanharam Blaine e Tracy, com Yellow olhando para trás, acenando com um lenço branco, se despedindo do frasco partido no meio do chão.


O grupo caminhou pela avenida principal de Cinnabar até chegar à doca, onde a pequena embarcação de Tracey estava atracada.

— Boa viajem garotos, sei que vocês serão capazes de cumprir esta missão — disse Blaine, se despedindo dos jovens heróis que se faziam ao mar com destino a Valencia Island.

E assim a pequena embarcação branca se faz ao oceano, com sua bandeira branca com um Butterfree estampado, balançando ao sabor do vento, a viajem para o arquipélago laranja ainda seria longa, mas o céu estava azul, o mar estava calmo, não parecia possível algum problema acontecer, no entanto...

Á saída de Cinnabar, um rapaz com os seus vinte anos, observava o grupo dos 5 jovens saindo da ilha, ele ajeita sua bandana vermelha com uma caveira e sorri com malícia, ele seguira os nossos heróis com seu submarino, nunca tirando os olhos do barco branco onde eles viajavam.

Sem perceber que estavam sendo seguidos, os nossos heróis relaxavam na embarcação daquele simpatico rapaz, Katie e Yellow apanhavam banhos de sol na parte da frente, quanto Gary se encostava na grade, saboreando o vento, já Ash estava junto de Tracey que pilotava o barco.

De repente uma explosão na água, faz Tracey perder o controlo do barco e este quase se vira, um enorme submarino negro ergue-se perante os nossos heróis, os deixando apreensivos. As portas do grande navio se abrem e a pequena embarcação é engolida, sem poder fazer nada.

Os nossos heróis ficavam atentos, não sabiam onde estavam ou quem pertencia aquele navio, até que aquele que os seguia se manifestou.

— Olá pequenos visitantes, o meu nome é Raymond e quero dar as boas vindas ao meu submarino, propriedade do gang dos Tentacruel — apresentou-se aquele homem de bandana vermelha, colete amarelo e bermudas castanhas.

— O que é que você quer? Nos deixe ir — disse Ash gritando.

— Calma crianças, primeiro vocês me darão o seu barco e todos os vossos valores, depois podem ir a nado para casa hahahaha.

— Você não sabe com quem se está metendo, nos liberte agora ou então sofra as consequências — ameaçou Gary.

— Uhuhhahahaha o garoto tem coragem, mas acha que consegue dizer isso na frente dos meus comparsas? — De imediato, inúmeros outros homens surgiam dentro do submarino, todos vestidos da mesma maneira.

— Pff, please, não tem mais ninguém? — Perguntou Gary desvalorizando a situação, ele se mantinha bem calmo.

— Tsk, você é muito arrogante, merece um castigo, gang dos Tentacruel, atacar!

Os braços dos piratas mudavam de forma, se tornando compridos tentáculos azuis que logo prendem os nossos heróis, um gordo agarra em Katie e a levanta no ar, olhando para ela com malícia.

— Ohh não tentáculos, o meu maior inimigo das garotas.... Please, isto não é um daqueles animes que você está habituado a ver... — o gordo fica confuso quando começa a sentir frio nos seus tentáculos, á medida que Katie os congelava com seu corpo, obrigando-o a libertá-la.

Gary fez o mesmo, queimando os membros dos piratas, obrigando-os a afastar-se.

— Droga, eles são guerreiros... — reclamou Raymond que pensava que eram apenas turistas fáceis de roubar.

— Não somos apenas guerreiros — comentou Ash — somos membros da Squirtle Shell — dito isto o rapaz começa a exercer pressão, assim como Katie e Gary.

Logo os três guerreiros atacam os piratas com seus golpes, os fazendo cair um por um, até Yellow participou, saltando por cima da cabeça de quatro inimigos e lhes salpicando água para cima, em seguida faz uma descarga eléctrica que acerta em cheio nos piratas.

— Isto é um pe-pe-pesadelo — gaguejou Raymond, vendo seus companheiros caindo um por um. No final, apenas ele estava de pé, tremendo como um covarde que fez asneira — droga, droga, droga...

— Agora, vai nos libertar, ou teremos de sair á força? — Perguntou Gary com o corpo coberto de chamas.

— Eu abro as portas, mas não me faça mal...

— Mas o que diabos se passa aqui? — Uma voz masculina ouve-se do fundo do corredor e logo passos ecoam pelo submarino, com aquilo que parecia de ser um pau de madeira batendo no chão. Logo um velho baixo e gordo surge da escuridão, com sua longa barba negra e olhar maléfico, ele usava um chapéu de pirata vermelho e uma perna de pau.

— Ca-capitão barba negra, estes muleques, eles...

— Raios e coriscos, como é que quatro crianças venceram um grupo de piratas altamente treinados? — Resmungou o pirata — vocês verão a verdadeira força de um pirata... Whirlpool! — Em seguida ele começa a rodopiar enquanto cospe um jato de água pela boca, este se começa a intensificar e logo se torna em um grande redemoinho. O pirata o lança contra os nossos heróis que tem de se afastar, se lançando á água, já o barco é atingido.

— Não, o meu barco... — Tracey olhava uma última vez para o seu barco se afundando.

— Hahaha, vocês não sairão daqui com vida, logo farão companhia ao vosso barco.

— Isso é o que vamos ver — Gary sobe para a plataforma e corre na direção do capitão com seus punhos cobertos de chamas — Fire Punch!

— Miror Coat! — Estrelinhas brilhantes cobrem o corpo do pirata, o protegendo do golpe de Gary e o virando contra ele mesmo, o garoto é projetado para trás — hahahaha — riu com uma gargalhada sádica — pobre garoto, eu sou o terrível barba negra, o rei dos piratas, eu sou invencível.

— Então pegue isto — o pirata olha para cima e vê Ash descendo sobre ele com seus punhos electrificados — Thunderpunch!

— Water Pulse! — Barba Negra produz uma bola de energia aquatica concentrada na palma da mão e a lança contra o peito de Ash, fazendo o garoto ir contra a parede do navio — hahahahaha mais um caiu, quem é o próximo.

— Você já verá... Ice... — Katie é interrompida por Tracey que coloca a mão no seu ombro, deixando a garota confusa.

— Ele destruiu meu barco, é meu dever vingá-lo — disse o rapaz, ajeitando a bandana. Em seguida ele saca de um bloco de papel e um lápis de carvão começando a desenhar algo.

— Heh? Vai desenhar agora? Hahahaah.

— Hump, Whirlwind! — Tracey arranca a folha e a lança ao ar, do desenho surge um tornado que atira o capitão contra a parede.

— Meu capitão! Como se atreve! — Raymond salta sobre Tracey para o atacar, mas o mesmo volta a desenhar e lança a folha na direção do pirata.

— Boomburst! —Grita o rapaz, fazendo sua folha explodir com um potente som que lança o pirata ao mar.

— Seu imprestável, pode ter me pego de surpresa, mas isso não voltará a acontecer — disse Barba Negra, correndo com sua perna de pau contra Tracey que voltava a desenhar.

— Dig! — O rapaz lança a folha para o chão e assim que o pirata a pisa, cai em um buraco.

— Raios e coriscos, me tirem daqui argh, arh, eu sou o rei dos piratas.

— Spider Web! — Tracey desenha uma teia de aranha e tapa com ela o buraco, deixando o pirata preso.

— Wow, não sabia que você era um guerreiro — elogiou Pi, se mostrando impressionada. Tracey agradece e fica um tanto embaraçado.


E assim os nossos heróis prendem os piratas todos com cordas e Tracey pilota o submarino até Valencia Island, onde chegam passado umas horas e após entregarem os piratas ás autoridades, avançam para a Butterfree Nest, a guilda de Tracey, o que eles vão encontrar? Bem, isso são histórias do próximo capítulo.

1 comments :

Write comments
Boo
AUTHOR
1 March 2015 at 13:30 delete

Capítulo muito divertido, desde Gary a trolar o Ash, toda a discussão no hotel, Katie sendo chamada de gorada, Yellow descobrindo o ketchup. Foi tudo bem leve e alegre, um capítulo mais descontraído antes de a ação realmente começar.
Finalmente vão começar a explorar a região do arquipélago, estou bem curioso para ver esta região sendo mostrada, foi uma boa ideia apresentar uma guilda nova, ate pode ajudá-los a conhecer a área.
No fim ainda um pouco de ação com o grupo sendo atacado por piratas, rendeu uma boa luta, e principalmente ver o poder do Tracey, é algo bem diferente de tudo que já foi visto ate agora, me deixou curioso para ver como são as habilidades dos outros da região. Outro capítulo muito bom, ate no humor a historia se destaca com as piadas sobre o mundo otaku, adorei.

Reply
avatar