#19 - Prologue to Cipher!





                A grande guerra da chuva que ocorreu há dez anos deixou para trás um cenário de destruição, como já pudemos assistir, vários personagens sofreram de uma maneira ou de outra com aquela que ficou conhecida como a maior batalha de sempre, mas nenhuma região sofreu tantos danos, como a região de Orre.

             Orre era uma região onde as suas cidades alcançavam os céus, onde aconteciam os maiores torneios entre guerreiros de todo o mundo, o berço dos gladiadores que na antiguidade clássica se debatiam para decidir quem seria o mais forte. Hoje, a outrora grandiosa Orre está reduzida a apenas algumas vilas onde impera a marginalidade, o resto é apenas um imenso deserto onde ninguém se aventura a entrar.

            Vocês perguntam: Por que é que esta região ficou assim e as outras não? Bom, isso é porque a grande guerra começou aqui, os motivos? Bem, isso é outra história, o que precisam de saber é que a região está se tentando reerguer, em dez anos fizeram muitos progressos, mas ainda está longe, muito longe de sequer ser uma localidade apelativa a alguém.

             A nossa história começa em um velho armazém no meio do deserto, antes existia aqui uma cidade, agora para além deste decrépito edifício de dois andares, só existe areia, aqui se esconde um grupo de criminosos conhecidos pelo nome de Muk Infection, praticam crimes por toda a região, como roubos, sequestros e até mesmo assassinatos, por que é que ninguém faz nada? Perguntam vocês. Bom, por medo, as outras regiões deixaram de se importar com esta e nela, não há ninguém que lhes faça frente, bem... pelo menos não havia, até alguém fazer explodir uma bomba no interior do armazém, os homens, na sua maioria carecas, se distinguiam pelos seus coletes vermelhos, corriam pela escada tentando perceber o que se passava no andar de cima.

           Um rapaz com não mais de dezoito anos estava segurando em um livro quando foi encontrado pelos vândalos, tinha os cabelos espigados da cor de prata, vestia um longo casaco de couro azul e óculos dourados que lhe permitiam ver por entre a fumaça.

          Os bandidos o tentavam apanhar, usando seus movimentos, criavam bombas de lodo contra o jovem atacante que se desviava de todos com grande perícia.

          — Lamento boys, mas eu levarei este grimorio — dito isto, o rapaz salta pelo buraco na parede que ele havia feito com a bomba que lançara antes, aterrando de pé no solo arenoso e correndo para um veículo de duas rodas, estacionado atrás das dunas.

           — Senhor Gonzap, ele levou o livro dos feitiços — avisou um dos bandidos quando um homem enorme sai de dentro do armazém, os seus braços musculados e o seu rosto intimidavam os restantes membros, que pareciam seus servos.

           — Vão atrás dele seus idiotas — ordenou Gonzap, o líder da Muk Infection.

           — Senhor, ele minou nossas motos, estamos sem maneira de o perseguir — informou um dos soldados.

          — Maldito Damon, eu o irei encontrar e quando o fizer, não irei ser tão misericordioso como da última vez.


          Damon, este é no nome deste rapaz que conduz o seu veiculo pelo deserto até chegar em uma cidade a sul, Phenac City, provavelmente a única cidade com alguma riqueza, esta é a capital de Orre, por isso é natural que seja aquela onde os esforços de reconstrução são maiores, a cidade é rodeada por uma parede que impede os ventos do deserto de a invadirem, a maioria dos edifícios são feitos de pedra, assim seus habitantes não sofrem com o calor intenso da região, no centro da praça encontra-se uma fonte, que serve não só como decoração, mas como amostra do fornecimento de água, Phenac é chamada de jóia do deserto, ou a cidade oásis.

         O rapaz chegava a essa cidade, deixando seu veículo estacionado do lado de fora dos portões, logo ao entrar dois estranhos carregando um grande saco chocam contra ele.

          — Veja por onde anda, seu idiota— reclamou um destes estranhos, tinha o cabelo coberto por um gorro negro, usava óculos vermelhos, provavelmente seria um viajante, pois tinha óculos de protecção para o deserto como Damon.

          — Esqueça ele Truly, nós temos de levar esta mercadoria que sequestramos ao chefe — disse o outro, este tinha cabelos louros e óculos azuis.

          — Seu idiota, não fale essas coisas em voz alta, ele não precisa de saber que estamos sequestrando uma pessoa dentro deste saco.

          "Sequestro?" "Eles estão levando alguém" "Policia!"

          Os habitantes de Phenac logo deram o alerta, os dois sequestradores tentaram escapar da cidade, mas Damon bloqueia sua passagem.

          — Você vai querer encrenca? — Perguntou Folly, o loiro de cabelo em pé. Damon apenas suspirou o que irritou ainda mais o sequestrador — deixe que eu lhe ensino uma lição — neste momento ele larga o saco e este cai no chão, alguém grita com a dor do impacto.

           — Não largue assim isto imbecil — gritou Truly.

           — Relaxe, eu já o ajudo, primeiro vou dar um jeito neste infeliz hehe, se prepare.

            Damon mal se movia enquanto Foly salta sobre ele com os seus punhos iluminados por uma energia de cor laranja, ele tenta desferir um murro no viajante, mas este se afasta para a esquerda, fazendo o inimigo acertar no solo.

             — Iron Punch! — Damon direciona o seu punho contra Folly, o seu braço ganha um aspecto metalizado e assim acerta directamente no estômago do seu oponente, o fazendo cuspir e se agachando no solo com as dores.

              — Mm-maldito, isso não ficará assim...Wild Stream! — O loiro fica envolto em uma aura laranja, uma fita da mesma cor percorre o seu corpo em movimentos circulares, Folly estica os braços e a fita ataca como uma serpente.

               — Iron Defense! — Todo o corpo do viajante se metaliza, quando acontece o contacto, a fita quebra, deixando Folly intimidado.

               — Que elemento é este? Eu não o reconheço... — murmurava Truly que assistia ao desenrolar do combate.

               — Qu-quem é você? — Perguntou Folly tremendo.

               — Isso importa? — Damon não parecia muito interessado na luta, a arrogância no seu tom de voz irritava o seu inimigo.

               — Claro que importa, eu quero o seu nome para colocar na lista de vitimas do grande Miror B.

                — Miror B.? — Damon mostrava conhecer aquele nome de algum lugar.

                — Seu idiota, não revele o nome do nosso chefe — reclamou Truly.

                — Então vocês trabalham para Miror B. — Damon sorri — interessante.

                — Você acha piada?

                — Preciso que vocês lhe passem uma mensagem.

                — Qual seri... — sem deixar Folly terminar a frase, Damon desfere um poderoso soco no seu abdómen o deixando imóvel no solo.

                — Você pagará por isto — Truly larga o saco e pega no seu companheiro aos ombros, se afastando da cidade.

                  "Viva o herói" "Ele afastou os bandidos do Miror B."

                  Os habitantes de Phenac corriam para abrir o saco, de lá dentro sai uma garota ruiva, amarrada e amordaçada, logo as pessoas a libertam.

                 — Obrigada por me ajudarem, estou muito grata — a ruiva fez uma vénia e um dos habitantes informou-a que foi Damon quem a salvou.

                 — Então você é o meu cavaleiro andante — Damon mal se importou com a garota, logo continuou o seu caminho — espere, por favor, importa-se de vir comigo falar com o mayor? Preciso de o avisar de uma coisa e tenho de ter uma testemunha, visto que você os enfrentou, poderia ajudar a descrevê-los.

                  Damon aceitou seguir a garota, mesmo sem dizer uma única palavra o caminho todo.

                  — O meu nome é Lucy by the way, posso saber o seu nome?

                — Damon — respondeu com frieza no tom.

                Chegando na residência oficial do Mayor, os dois se preparam para entrar, mas antes sai de dentro da residência um homem de longos cabelos prateados e vestes púrpura. Este homem passa por eles sem sequer olhar, os deixando entrar, onde são recebidos por um velhinho baixo e gordo que estava bastante nervoso.

                 — Isto não pode ser, é uma desgraça, um ultraje... — o velho falava sozinho em um tom irritado e apressado, até que vê os dois viajantes na sua entrada e muda logo o tom para algo mais simpático — ohh visitantes? O que os trás á minha cidade?
                
                — O senhor é que é o Mayor? — O velhinho confirmou a pergunta de Lucy. O seu nome é Escade e ele é o responsável pelas obras na cidade — o senhor parecia enervado, passou alguma coisa?

                 — Ohh nada que deva preocupar as vossas jovens cabeças, apenas uns desentendimentos no coliseu de Phenac, aquele coliseu é o meu grande orgulho, em breve Phenac voltará aos seus dias de glória hohohoho. Mas imagino que não seja por isso que os jovens vieram até mim, contem, em que vos posso ser útil?

                 — Dois homens tentaram me sequestrar porque descobri algo muito grave — Lucy começou a falar, logo o Mayor senta-se na sua secretária ouvindo atentamente — aconteceu esta manhã, eu estava viajando para visitar o meu avô em Agate Town quando encontrei aqueles dois vendendo algo a um estranho, pelo que percebi aquilo era cipher.

                  — Cipher? Está me dizendo que está havendo tráfico dessa droga na minha cidade? — O Mayor parecia chocado com a noticia. Cipher é uma droga que aumenta consideravelmente a força de quem a toma — isso que você disse é muito grave.

                  — O Damon me ajudou a escapar deles.

                  — Eu entendo, se não for pedir muito eu gostaria de lhes pedir um favor, não contem isto a mais ninguém, se as pessoas souberem que essa droga anda pela minha cidade, o pânico seria instaurado, eu irei investigar e por um termo a esta situação.

                   As palavras de Escade sossegaram Lucy que acompanhou Damon para fora da residência.

                   — Espero que as coisas se resolvam — disse a garota — escute Damon, para onde você vai?

                   — Que lhe importa isso?

                   — Quanta hostilidade...

                   — Tenho assuntos a resolver com aqueles dois, sei que eles são do grupo do Miror B. e agora sei que ele está envolvido em tráfico de Cipher, então irei pará-lo.

                  — Mas isso é perigoso, Cipher torna quem a toma muito poderoso, você não os poderá derrotar, deixe o Mayor tratar disso.

                   — O Mayor nem sabia que estavam vendendo essa droga na cidade que ele gere, é um completo idiota que só se importa com o seu coliseu, eu mesmo lidarei com o Miror B. tem algum tempo que eu o quero enfrentar.

                  — Então eu irei consigo, você me ajudou e agora eu o poderei ajudar a si.

                  — Fique quieta e não me siga — Damon começa a andar e Lucy o segue mesmo contra as suas palavras — eu não disse para não me seguir?

                  — Ah sim, como pensa encontrá-lo sem a minha ajuda? Eu sei onde eles produzem a cipher.

                  — E onde é isso?

                   — Ah, para saber vai ter de me levar consigo.

                   — Garota irritante... — relutantemente, Damon lá concorda em seguir viagem com Lucy, uma vitória que a ruiva aceitou prontamente.

                    A jornada de Damon e Lucy vai começar e não vai ser nada fácil, mas deixemos Orre para já e voltemos a Pallet Town, onde os membros da Squirtle Shell relaxavam, descanso esse que foi curto, pois quando as portas se abrem bruscamente é outra ruiva que aparece com vários ferimentos no corpo, esta ruiva é a guerreira da Fearow's Beak, Misty.

                

1 comments :

Write comments
Boo
AUTHOR
20 January 2015 at 14:54 delete

Este capítulo fez valer o título de prólogo, foi como ler algo novo, um recomeço, uma nova fase da historia.
Um tom mais sombrio e sério, se antes a historia parecia ter cores, ser uma fantasia, algo alegre e para cima, agora parece ter ganhado tons de cinza, eu adorei.
Damon parece uma personagem extremamente forte e determinada, tem algo que o atrai em direção a Miror B.
Uma região ainda destruída parece incapaz de proteger as pessoas e vigiar as ações ilegais, o prefeito sequer sabia sobre o tráfico de Cipher.
A questão do coliseu me pareceu um tema bem interessante também, fui surpreendido positivamente por este capítulo, estou ansioso para ver o rumo que vai tomar a partir de agora, capítulo muito bom.

Reply
avatar