#17 - Always and Forever!





           Squirtle Shell e Laughing Gengar, duas guildas que entravam em conflito, esta última ameaçava destruir uma cidade com uma bomba, o que levou os nossos heróis ao encontro destes terroristas para os vencer.

          Katie enfrentava Miriam, mas via-se em apuros, pois esta usou suas ondas sonoras para encantar os membros da guilda dos lutadores da Primeape Rampage. No entanto a garota ao ver estes lutadores atacando na sua direção, ela coloca as mãos no solo fazendo surgir espinhos de gelo que perfuravam a calçada, obrigando os homens a recuar.

         — Não são uns blocos de gelo que nos vão parar — Kim Nukesu, o mestre da guilda concentrava sua energia produzindo uma mística aura vermelha, ele dá um soco no ar, criando um forte impacto no ar que abre o caminho destruindo os espinhos de gelo.

         — Droga, ele é um mestre de guilda, os seus poderes superam os meus, o que fazer? — Katie pensava para si mesma, ao ver a facilidade com que o sensei da Primeape Rampage destruía o seu golpe gelado.

        — Hahaha, você não pode fazer nada contra mim, irá ser derrotada — Miriam estava sentada em cima de um semáforo se deliciando com as dificuldades da sua oponente.

         Cyan, Rin e Khan, os três lutadores da guilda saltam sobre Katie que se tenta desviar dos seus golpes, Cyan ataca com os seus pés tentando rastejar a morena, esta salta, mas logo pressente Khan atrás de si, desferindo um golpe com os punhos nas suas costas, a projetando para a frente, onde Rin fazia movimentos circulares com os braços e concentrando uma fonte de energia.

         — Focus Blast! — Gritou Rin ao lançar aquela energia contra Katie, que abre as asas e evita o golpe.

         — Ice Shard! — As asas de Katie começam a brilhar assim como as suas mãos, rochas geladas caem pelas penas azuis provocando uma chuva de granizo sobre os lutadores. Katie aterrava ofegante e logo o mestre a esperava com a palma da mão junto do seu peito.

         — Force Palm! — A energia concentrada de Kim Nukesu projeta a garota para trás, a fazendo entrar na academia pelos vidros, ferindo-a no processo para contentamento de Miriam que apenas observava.

        — Você está bem? — Uma jovem tenta ajudar Katie que estava estendida no chão sobre os estilhaços. Era Kira, a garota da Primeape Rampage — huh? Sensei? — Ela olha para a entrada e vê os membros da sua guilda entrando atrás desta garota.

       — Afaste-se dela Kira, ela desrespeitou o nosso código, terá de pagar — disse o mestre.

       — O que está falando sensei? O nosso código diz que as lutas têm de ser justas, isto é um contra um, não os quatro contra ela, o que está acontecendo?

         — E-eles estão sob controlo de uma guilda negra... — Katie tentava explicar mas as palavras lhe faltavam. Kira não tinha parado o seu treino e não tinha sido afectada por ser mulher.

          — Uma guilda negra? — Kira se levanta e encara o mestre — sensei, não é assim que nós lutamos, nós temos honra, não deixamos ninguém em desvantagem, nem mesmo o pior dos criminosos.

         — Se você não está conosco, então está contra nós... Force Palm! — Sem Kira se conseguir mover, o mestre posiciona a sua palma da mão junto do peito dela produzindo um blast que a projeta contra a parede de espelhos, a ferindo no processo. Katie estava agora sem proteção contra os lutadores, ela sangrava da testa e dos braços, suas pernas estavam machucadas e não respondiam, ela pensava no fim.

          Entretanto, a energia eléctrica produzida por Ash e Jimmy colide provocando uma explosão naquela doca de Vermilion, os dois caem para trás com ligeiros ferimentos. O guitarrista e líder da guilda se levantava e sentia a energia vital dos seus irmãos, eles estavam todos em vantagem, isso o fazia sorrir.

          — Está sentindo isso? Hehehe, os seus amigos estão em sarilhos, nós iremos vencer.

          — Não conte com isso — Ash se levantava com alguma dificuldade, ele tinha uma mão junto do peito, pois estava com dificuldade em respirar — nós iremos vencer, pois nós temos o espírito da Squirtle Shell e nunca iremos desistir, sempre protegeremos uns aos outros e sempre confiaremos uns nos outros.

          — Você não entende... sabe por que vocês vão perder? Porque nunca passaram por aquilo que eu e os meus irmãos passámos.  

           Jimmy começa a contar a história dele e dos seus irmãos. Naquele momento os restantes membros sentiam as vibrações do seu irmão e assim espalhavam pelos seus oponentes, com a mensagem "Por que é que não nos podem vencer?"

           Quando a grande guerra aconteceu, nós éramos apenas umas crianças, não percebíamos nada da vida, não percebíamos o que se estava passando em nosso redor, até que fomos afectados pela tragédia, a nossa vila foi destruída quando as forças inimigas atacaram, era uma vila pequena e por isso ninguém nos ajudou, preferiam proteger as grandes cidades enquanto os aldeões que não percebiam nada de combate tentavam defender suas casas e famílias contra guerreiros experientes, o resultado foi o que se esperava, todos morreram excepto aquele que nos salvou, um guerreiro mascarado que nos protegeu dos inimigos e nos levou para uma montanha, onde nos treinou, ele se tornou nosso mestre e nos ensinou vários truques usando o som.

         Mas a impiedosa guerra voltava para nos assombrar, o nosso mestre nos escondeu e combateu os inimigos, eles o eliminaram sem hesitar, enquanto eu e os meus irmãos assistíamos sem poder fazer nada.

        Quando a guerra terminou fomos acolhidos por um orfanato, fomos tratados como lixo, um grupo de irmãos que deveria ter sido destruído na guerra para não dar trabalho aos orfanatos que acolhiam também sobreviventes das cidades, o que nos restava era a música, mas nem por isso as outras crianças paravam de implicar conosco, sempre nos olhando com ar de superioridade, cada vez que aparecia um mestre de guilda era a eles que levavam, então nós éramos dispensados de orfanato em orfanato, até que alguém nos pegasse, isso nunca aconteceu.

        Uma noite eu decidi fugir com os meus irmãos, juntos saltamos o muro que vedava as terras do orfanato e nos fizemos á estrada, construímos instrumentos musicais e tocávamos na rua, esperando que as pessoas que passavam nos dessem algo. Durante esse tempo fizemos uma promessa, que aconteça o que acontecer ficaríamos juntos, always and forever, criamos a nossa própria guilda, impedindo assim de sermos rejeitados mais uma vez. Aquele convento que atacamos foi o nosso primeiro orfanato, roubamos as cadeiras apenas por diversão, não precisamos de roubar valores, pois nos temos uns aos outros e isso é o maior valor.

      Mas vocês das guildas oficiais resolveram interferir conosco, mais uma vez escolheram ficar do lado das grandes instituições e nos tratar como lixo, é por isso que vocês não vão vencer, porque nós somos um só, always and forever.

      As palavras do guerreiro músico entravam nos ouvidos dos membros da Squirtle Shell, todos eles estavam em grandes apuros, Yellow por exemplo, encarava Garrett em cima do palco do casino em Celadon.

       — Vocês falam de união, de apenas fazer aquilo pela diversão, mas ameaçam destruir uma cidade? É essa a vossa diversão? — Perguntou a garota do chapéu de palha.

       — Nope, diversão é fazer vocês acreditar que existe realmente uma bomba — respondeu o baixista — nós falamos da bomba para vos fazer vir até nós, essa é a parte divertida da coisa hahaha.

       Estas mesmas palavras eram ditas pelos restantes membros, a bomba não existia, era apenas uma brincadeira. Ash encara Jimmy.

       — Então venham conosco para a Squirtle Shell — convidou o rapaz do chapéu vermelho estendendo a mão.

        — Que está dizendo?

        — Venham conosco, a Squirtle Shell se orgulharia de ter vocês como membros — Ash esboça um sorriso.

         Os restantes membros ouviam as palavras de Ash pelas ondas sonoras emitidas por Jimmy e assim os ataques paravam, estaria ele falando a verdade? Seriam eles aceitos?

       No entanto este cessar de ataques foi de curta duração, Yellow estendia o braço a Garrett que ponderava aceitar, quando vinhas vindas da janela aberta no topo do casino o chicoteavam, fazendo-o cair. Logo uma jovem de cabelos negros a dar pelos ombros surgia por essa mesma janela, vestindo um kimono com um padrão de flores.

        — A diversão terminou para vocês, Laughing Gengar — disse a jovem com um tom sereno.

        Este ataque não foi o único, em Saffron os lutadores haviam parado de atacar Katie, ajudando a garota a se levantar e se chegar a Miriam também para lhe oferecer o lugar na sua guilda, esta estava com lágrimas nos olhos, se sentia aceita, mas foi ai que é atingida por um raio cor de rosa nas costas, caindo no chão.

        — Miriam, que se passou? — Katie corre em seu auxilio e olha para cima, vendo uma mulher de cabelos negros e olhos maliciosos em flutuando no ar — Sa...Sabrina?

        Clyde havia liberto Gary dos seus espinhos, o neto do professor Oak estava um pouco relutante, mas também concordava com a proposta de Ash e estendeu a mão ao baterista, mas antes das mãos tocarem, um shuriken é lançado ferindo o braço de Clyde.

         — Quem está ai? — Perguntou Gary olhando para o templo, onde um homem vestido com roupas de ninja e cabelos espetados surge de dentro de uma nuvem de fumaça.

          O contacto de Jimmy com os irmãos se perdeu, ele não sabia o que se passava e o seu corpo tremia, Ash tenta perceber o que se passava e coloca as mãos no ombro do guitarrista, logo os dois sentem uma forte energia elétrica se aproximando.

          — Então o que temos nós aqui? Uma guilda negra hein? — Um homem de cabelos louros surge vestindo um camuflado com o seu corpo envolto em faíscas, uma presença que intimidou Jimmy.

         E quando tudo parecia bem, estes novos quatro personagens surgem quando a batalha estava terminada, quem serão eles? Parece que os problemas ainda não acabaram, o que irá acontecer? Não percam o próximo capítulo.


         

1 comments :

Write comments
Boo
AUTHOR
11 January 2015 at 13:53 delete

Capítulo incrível, o melhor do arco inteiro, e um dos melhores da historia no geral.
O prosseguimento da luta da Katie foi surpreendente, existem mesmo outras guildas muito fortes, apesar dela ter se contido para não os machucar a força do líder da guilda era real.
A historia da Laughing gengar foi bem triste, de certa forma eles são vítimas da guerra e do que ela causou, principalmente ao final ao saber que não existia bomba deu para ver que não eram vilões de verdade.
Realmente um final com eles se juntando a Squirtle shell seria um final feliz, mas parece que não vai ser o que vai acontecer. As ações dele acabaram chamando a atenção de outras pessoas.
Um grande final que encerrou um capítulo irretocável, a historia só melhora.

Reply
avatar