#16 - Musical Trouble!





             Bem vindos de volta a este universo mágico onde seres humanos possuem poderes fascinantes, um mundo onde após uma intensa e devastadora guerra, os grandes guerreiros formaram guildas com o objectivo de ajudar os mais novos e impedir que uma batalha como a de à dez anos se voltasse a repetir. No entanto ainda existem aqueles que ignoram as tentativas de paz e formam guildas negras para semear o caos no mundo. E é com uma guilda dessas que os nossos heróis da Squirtle Shell estão lidando neste momento, a Laughing Gengar, um grupo de músicos que pretendem rebentar uma cidade apenas por diversão, Katie e Ash enfrentam dois destes malfeitores, mas ainda sobram dois.

          A oeste de Saffron existe uma cidade conhecida pelo seu grande comércio e centros de diversão, como casinos, teatros e parques temáticos, esta é Celadon, a cidade que nunca dorme, durante a noite muitos turistas visitam as colinas e olham para a cidade pois as luzes dão um efeito de um arco-íris cobrindo as ruas. Mas não estamos aqui para falar da diversão na cidade, mas sim de uma coisa séria, um dos membros da Laughing Gengar está algures por aqui e cabe á mais jovem membro da Squirtle Shell, Yellow, impedir que ele ative a bomba caso ele a tenha.

        A jovem loira percorria as ruas da cidade, segurando no seu chapéu de palha oferecido por Katie, ela estava determinada em encontrar o inimigo que a espiava pelo telescópio situado no topo no grande Dep. Store, o maior centro comercial do mundo.

        — Not cool, eu não terei diversão nenhuma com essa ai... — Garrett, o baixista da Laughing Gengar parecia bem desapontado em ter de enfrentar Yellow, ele aumenta o seu espírito de combate fazendo a garota o notar. Em seguida ele sai do Dep. Store e corre pela cidade.

       Yellow pressente-o em movimento e persegue-o pela cidade, este se diverte fazendo a garota correr, entrando por becos, saltando muros, não para a despistar, pois ele nunca baixava os níveis da sua força espiritual, mas sim para zombar da garota que estava determinada em encontrá-lo. Garrett entra em um hotel, subindo até ao último andar, a garota o persegue entrando no elevador, indo até ao terraço, onde o inimigo a aguardava com o seu baixo.

       — Yo você conseguiu chegar aqui, parabéns hehe — zombou o baixista que havia feito a garota andar ás voltas.

      — Eu sei que você não estava verdadeiramente fugindo de mim — Yellow estava cansada mas o seu olhar disparava determinação.

      — Good, você é esperta yo, mas sabe por que eu a trouxe aqui? Já sentiu a acústica deste terraço? É fenomenal — Garrett começa a tocar o baixo produzindo ondas sonoras que são lançadas contra Yellow, explodindo no solo e projetando a garota para trás.

     — Isso é batota, eu não estava preparada — disse a garota se levantando.

     — Yo, você é mesmo fraca, isto nem vai dar piada... Sound Crush! — O baixo de Garrett se transforma em uma bazooka e atira na garota, mas esta cria uma barreira dourada na sua frente, impedindo o contacto — not bad, mas mesmo assim não me vai vencer — o baixista salta pelo terraço do hotel, ele usa o seu roupão branco como pára-quedas e assim aterra no solo sem problemas.

      — Droga, ele vai fugir — Yellow volta a entrar no elevador para perseguir o rapaz.

       Ela perde tempo enquanto Garrett corre pela cidade, logo Yellow deixa o hotel e o segue até ao Game Corner, o casino de Celadon, usado por centenas de pessoas todos os dias que vêm aqui apostar o seu dinheiro na esperança de ganhar mais, neste centro de jogos existe também um palco e era lá que Garrett se encontrava quando Yellow apareceu.

       — Está pronta para o round 2? — Perguntou o rapaz em tom de troça.

       — Não venha para aqui, não vê que isto está cheio de pessoas?

       — Ora, mas eles são o meu público yo, eu quero fazer uma exibição de estouro hahahah.

       — Então é você que tem a bomba? — A pergunta de Yellow gelava as pernas da garota, no fundo ela esperava não ter de lidar com isso.

       "Bomba?" "Quem são aqueles?" "Há uma bomba no casino?" "Salve-se quem puder"

       Os jogadores entram em pânico e saem disparados do Game Corner abandonando os seus pertences.

        Entretanto a sul da região, Gary chegava a Fuchsia, uma cidade conhecida pelo seu zoológico, os turistas a visitam pelos animais espalhados por toda a parte, é um lugar muito procurado principalmente por crianças, é também possível ver estes animais em liberdade, usando a Saffari Zone, uma densa savana onde estas criaturinhas vivem em comunhão com a natureza, falando nesta zona, foi para aqui que a energia espiritual de Clyde trouxe Gary, o neto do professor Oak caminhou pela savana até encontrar aquilo que parecia ser ruínas de um antigo templo azeteca, hoje usado por Mankey que saltitavam alegremente pelos pilares. O baterista da Laughing Gengar estava sentado em um trono feito de pedra, com um bombo no colo, aguardando a chegada do seu oponente.

       — Finalmente chegou, eu já estava a definhar — disse Clyde em tons de troça.

       — Antes de começarmos com isto me diga, onde está a bomba?

       —  E porque haveria eu de contar?

       — Porque eu arrancarei essas palavras de sua boca de qualquer jeito, apenas não teria de as expulsar ao pontapé.

       — Oh my... já lhe disseram que você é muito agressivo? E eu não lido bem com pessoas assim... Boom Boom Boom! — Clyde começa a bater com as mãos no seu bombo, provocando um abalo no solo, assustando os Mankey que fugiam apressadamente, Gary não ficava impressionado e saltava sobre Clyde.

       — Ember! — O neto do professor Oak cospe pequenas brasas que quase atingem o baterista, não fosse a sua barreira protectora.

       — Você é demasiado impaciente, se eu tivesse a bomba a detonaria na hora.

       — Isso era se você a tivesse, o que não é o caso — Gary esboçava um sorriso confiante, ele estava seguro das suas palavras e isso deixava Clyde intimidado.

      — Tsk, você iria mesmo arriscar isso? Nada mau para um cordeirinho de guildas oficiais.

      — Antes um cordeirinho que um vira lata como você e o seu bando.

      — Escute garoto, você não sabe de nada sobre o meu bando... sinta o meu poder — Clyde bate com as palmas das mãos no bombo provocando outro abalo de terra, mas desta vez, espinhos perfuravam o solo, Gary tenta os evitar saltando de um lado para o outro, mas sem efeito, os espinhos agarram seus pés e seus braços — agora desista — outro espinho se enrolava no pescoço de Gary fazendo o rapaz cuspir sangue pela boca ao som dos risos diabólicos do baterista.


       Problemas e mais problemas, os nossos heróis estão em sarilhos no que toca a enfrentar os membros da Laughing Gengar, conseguirão eles parar estes guerreiros negros? Não percam o próximo capítulo.

1 comments :

Write comments
Boo
AUTHOR
11 January 2015 at 07:05 delete

Capítulo muito bom, Yellow parece bem intimidada diante da situação, mesmo assim esta demonstrando coragem e perseguindo seu adversário, ele parece confiante demais, esta subestimando a Yellow, espero que ele consiga reverter a situação.
Finalmente o Gary em ação, desde que apareceu a personagem queria vê-lo lutar, estava imaginando quem seria o mais forte da guilda, se ele ou a Katie, ele esta a enfrentar um adversário forte.
Estou gostando deste poderes relacionados ao som, bem como das descrições sobre as cidades, a historia segue muito boa.

Reply
avatar