#14 - Speaking in Strings!





               Hey hey now, o meu nome é Miriam e eu faço parte da maior guilda de todos os tempos, Laughing Gengar, uma guilda corajosa, forte e destemida, cheia de talentosos membros que compõem uma banda rock, mas bom, não estou aqui para falar do obvio mas sim para narrar a abertura deste novo capítulo, se vocês viram no último, os tolos da Squirtle Shell acharam que tinham alguma chance contra nós, então criamos uma pequena distracção para os manter ocupados enquanto escondíamos uma bomba algures na região ahahah, quero ver agora o que eles vão fazer para nos apanhar, querem ver a nossa vitória? Bom, continuem a ler.

             Os nossos heróis encontravam-se no centro de Lavender Town, decidindo que caminhos tomar.

             — Consigo sentir as auras deles desde aqui, eles querem mesmo que vamos ao seu encontro — comentou Gary.

             — Temos de nos apressar, eles podem estar montando a bomba — disse Ash inquieto.

             — Tenha calma idiota, eles estão nos esperando, se aparecermos sem um plano seremos emboscados e não poderemos fazer nada.

             — O Gary tem razão, temos de ser mais inteligentes que eles, eles usam poderes de ilusão para nos confundir, aquela garota usou com vocês e o líder usou conosco, então eu irei atrás dela e vocês ficam com eles — disse Katie — Yellow, você vem comigo e eu a ajudarei a combater durante o caminho.

             — Certo — a garotinha concorda com as palavras da morena.

             — Yellow, voc...

             — Não se preocupe Ash, eu consigo fazer isto.

             — Use isto — Katie pega em um chapéu de palha — encontrei-o á pouco, ele esconderá suas orelhas e você passará despercebida caso haja algum daqueles que a queria capturar por perto.

             — Bom, então é isso, Ash você e eu vamos para sul, Katie e Yellow para oeste, boa sorte a todos.

              Os quatro companheiros colocam as mãos em cima umas das outras e depois se separam. Gary e Ash seguem para sul, entrando na rota 12, também chamada a ponte do silêncio, por ser ideal para pescadores poderem pescar em paz e sossego, já as meninas seguiram para a rota 8, uma estrada de cimento, usada por caminhões de carga.

              Katie e Yellow foram conversando ao longo do caminho, a guerreira de cabelos castanhos foi usando movimentos com o seu corpo tentando explicar algo para a novata. Entretanto os rapazes chegavam em um cruzamento ainda a meio da ponte.

             — Para oeste temos Vermilion City, a sul temos Fuchsia City, é aqui que nos separamos Ash. A aura daquele baterista vem de Fuchsia, eu quero o enfrentar, mas deixar você com o líder me preocupa.

              — Não precisa se preocupar, eu ficarei bem.

              — O que me preocupa é que você é um falhado e provavelmente irá perder.

               — Eu não sou nenhum falhado. Você não viu o meu combate contra o Ace da Fearow's Beak, não sabe daquilo que sou capaz, por isso pare de me chamar isso e me aceite como igual.

                — Pff, apenas não estrague isto, Ashy boy.

                 — O mesmo para si, Gary.

                 Os dois dão um hi5 no ar e correm nas suas direções rumo aos combates com Jimmy e Clyde.

                  As garotas haviam chegado em Saffron City, onde apenas sentiam uma aura, a outra estava ainda mais para oeste.

                   — Droga, estava com esperança de alcançarmos os dois aqui — disse Katie mordendo o lábio.

                   — Eu posso continuar — Yellow estava determinada, ela olhava para a continuação da rota.

                   — Eu confio em si, mantenha o seu espírito de combate alto, assim eu posso ir em seu auxílio quando terminar com aquela garota.

                  — Quando você chegar já não terá nada dele — disse Yellow sorrindo.

                  — Haha é esse o espírito, boa sorte — as duas acenam com a cabeça e logo Yellow parte para oeste, para Celadon.

                   Katie ficava em Saffron, uma das maiores e mais populosas cidades de todo o mundo, a cidade que é iluminada pela luz dourada do sol, os grandes edifícios que chegavam ao céu mostravam bem o nível de desenvolvimento e riqueza muito superiores ás restantes cidades da região, pois era aqui que se encontravam as maiores empresas, a principal dá pelo nome de Silph Co. a maior produtora de tecnologia do mundo, os melhores televisores, computadores, electrodomésticos do globo são fabricados aqui. Mas vamos continuar com o que interessa, Katie caminhava pela cidade, seguindo os seus sentidos, o que era complicado, visto que multidões de pessoas passavam de um lado para o outro, dificultando a concentração da morena.

                  — Haha, sabia que seria você a vir para aqui — do topo de um edifício, Miriam observava Katie com um binóculo, assim começando a elevar a sua força espíritual.

                  — Achei — Katie olha para cima e a vê, com seus cabelos ao vento, observando-a. Logo Katie se afasta da multidão e em suas costas surgem duas asas cobertas de gelo, ela levanta voo sobre o olhar atento dos cidadãos.

                  — Isso isso, siga-me hihihi — Miriam começa a correr por cima dos prédios, saltando de telhado em telhado, sendo perseguida por Katie — oops, fim da linha — chegando ao último grande prédio, a garota coloca o seu violino ao ombro e começa a tocar ferozmente, criando ondas sonoras que atingem Katie nos ares.

                 Katie vai a cair do prédio, mas abre suas asas e volta ao topo.

                 — Ohh, o fim da linha, o drama, o horror, por favor, não me atinja mais com esse violino, eu não sei se aguento — dramatizou.

                  — Escute, aqui só há lugar para uma diva, então caia de uma vez.

                  — Este telhado é enorme, não me diga que você é realmente muito gorda e tudo isso não passa de uma das suas ilusões...

                   — Huh? Você me chamou gorda? Como se atreve? Agora me irritou, sinta o poder da música... Sonic Boom! — Miriam começa de novo a tocar, criando as ondas sonoras contra Katie.

                   — Not this time — Katie impulsiona-se com os pulsos no solo e salta bastante alto, evitando o golpe — Ice Shard! — Em seguida ela produz rochas de gelo, as arremessando contra a violinista que continua tocando, destruindo o gelo antes do contacto.

                   — Golpes especiais não me vão afetar, se você quiser me tocar, terá de se aproximar — aguçou Miriam.

                    — Se você insiste... Ice Punch! — Katie voa na direção de Miriam com o seu punho brilhando.

                    — Vou acabar consigo... Metal Sound! — Miriam toca violino de forma mais violenta, provocando uma onda de energia junto dela, afetando Katie e o seu golpe, em seguida a violinista salta no ar — e este é o meu golpe final... Boom Burst! — O violino começa a emitir uma explosão de ondas sonoras contra Katie, explodindo no contacto com a jovem.

                   O impacto provocou um abalo no prédio, fazendo as pessoas virem ás janelas tentando perceber o que se passava. A fumaça chamava a atenção dos habitantes nas ruas.

                   — Haha venci... huh? — Por dentro da fumaça, Miriam avistava uma esfera esverdeada criada por Katie.

                   — Esse era o seu golpe final? Nada mau, mas... well, já percebi que você não tem a bomba, caso a tivesse já me teria ameaçado com ela, por isso nada me impede de combater a sério hihi. — Katie se mostrava bem descontraida.

                — Na-não é possível, ela não tem nem um arranhão... mas não me vai apanhar... — Miriam salta do prédio abaixo sem qualquer apoio.

                 — Ela é louca... — Katie abre suas asas e a persegue, os habitantes vêm-na tentando apanhar Miram, mas esta se mostra esperta ao colocar os pés em cima do violino — quê?

                   — Achava mesmo que eu me iria matar? — O violino de Miriam se torna em uma prancha e a garota flutua no ar.

                   No piso de baixo existe um pequeno ginásio, logo os homens saem disparados.

                   — Mestre, estão duas gostosas combatendo no ar — informou um dos rapazes vestidos com kimonos de karaté. Todos eles começam torcendo e assobiando.

                   — Hmm, os homens são todos uns idiotas, mas isso pode ser jogado a meu favor — Miriam aterra e acena para os karatecas — obrigado meus fãs, olhem aquela ali é muito má e quer parar a minha musica, ela é uma hater — as ondas sonoras emitidas pela voz de Miriam leva os homens a ficarem furiosos com Katie, os seus olhares estavam determinados em derrotar a morena.

                    — Ohh boy, isto não vai ser tão divertido...

                   Katie estava em apuros, tudo o que ela não queria era envolver os civís nesta disputa, mas agora era tarde, conseguirá ela vencer Miriam sem ter de enfrentar estes homens? E os outros membros da Squirtle Shell, conseguirão eles parar os Laughing Gengar antes que a bomba expluda? Não percam o próximo capítulo.


             

3 comments

Write comments
Boo
AUTHOR
7 January 2015 at 14:54 delete

Capítulo muito bom, a Squirtle shell teve de se separar para seguir na perseguição, foram bem espertos em traçar uma estrategia para fugir das ilusões que afetavam o sexo oposto.
Apesar da rivalidade deu para ver que Gary confiou em Ash, e Katie agiu como uma veterana ao ajudar e motivar Yellow, a dando confiança para a luta, começa a aparecer entre eles um espirito de equipe.
Katie e Miriam foi uma boa luta, os ataques especiais não estava a surtir efeito então era preciso trocar por golpes físicos, e logo que percebeu que Miriam não tinha a bomba Katie ficou seria e começou a mostrar a força que realmente possui.
Bom final com a Miriam a usar civis para equilibrar as coisas, a luta esta muito boa.
E também estava ótima a pequena descrição que fez da cidade. A historia segue em alto nível.

Reply
avatar
KG™
AUTHOR
8 January 2015 at 05:42 delete

Que bom que gostou, obrigada ^-^

Reply
avatar